Ano novo, trampo novo

E ae pessoal, todo mundo enchendo a cara preparado para as comemorações de Ano novo né? =D

Último dia do ano e cá estou eu, escrevendo um postzinho básico para finalizar meu ano contando a vocês um pouco sobre o que me espera neste 2017 e o porque do título deste post.

Uma família chamada Multicanal Amil

Ontem foi meu último dia trabalhando na Amil. Como diz no post acima, foram quatro anos e meio quatro meses de trabalho, junto à equipe mais legal e mais competente que eu poderia desejar até hoje.

No período em que trabalhei com eles eu evoluí absurdamente, não apenas profissionalmente, mas também como pessoa (especialmente como pessoa).

Pode parecer um pouco “puxação de saco” mas esta equipe está formada por excelentes profissionais tanto na área de negócios e gestão, quanto na área técnica (e aqui incluo analistas, frontenders, UXs, backenders, arquitetos, etc).

A verdade é que eu aprendi muitas coisas (e bota “muito” aqui) e ao mesmo tempo acredito que também deixei uma que outra sementinha de conhecimento em algumas outras pessoas, ou seja, evoluímos juntos, sempre ajudando uns aos outros e é por isso que este pedaço do post tem no título a palavra “família”.

Como em uma família, existiram momentos divertidos (regados a cerveja e comida), momentos de tensão (típicos da nossa área), uma que outra desavença (especialmente quando se fala de semântica =P) e muitos momentos fantásticos, cheios de trabalho, desafios, pair programming, code review, dojos, etc.

Se hoje eu estivesse fazendo uma retrospectiva analisando este período utilizando um valor percentual, eu diria pura (e empiricamente), que tive 99,999% de aproveitamento, pois de cada experiencia, desafio, debate, pair, review, feedback, treta, etc. foram extraídos resultados excelentes para a todos, incluindo a equipe e em especial para os projetos.

Por isso, sempre que recebia uma proposta acabava recusando, pois para mim, não é apenas uma questão de dinheiro (mesmo ele sendo bem importante), mas também uma questão de qualidade de vida, desafios, equipe e evolução profissional e em todos estes quesitos a Amil sempre foi acima da média.

Daí vocês devem estar pensando “pó, legal Andréa, mas no fim das contas você está trocando de trabalho agora, então não deve ser essa coca cola toda” =P.

Trampo novo

A verdade é que sim, estou trocando de trabalho e o motivo mais simples é “porque esta nova empresa está me oferecendo todos os quesitos acima citados e que eu considero super importantes, junto a um novo e belo desafio” (falaremos sobre isso em outro post =P).

Então como boa desenvolvedora que adoga um novo desafio, acabei curtindo muito e decidi aceitar a proposta deles. Simples assim.

Então estou fechando literalmente 2016 com um belo conjunto de experiencias, emoções, conhecimento, muitas novas pessoas (isto amerita um outro post também) e pra melhorar um novo trabalho.

Sentimentos

Ontem, quando finalmente saí pela porta e comecei a descer as escadas, eu estava em meio a um turbilhão de sentimentos. Era uma mistura de saudade, tristeza, ansiedade e alegria.

Saudade e tristeza

Sim, ambas, pois estava deixando para trás uma boa parte da minha vida, já que você não pode passar dez horas do seu dia, rodeada de pessoas e não esperar que depois de quase cinco anos, você não goste de ninguém e não sentir saudade e tristeza pelas pessoas que na segunda não vai ver mais e pelos momentos juntos que você perderá.

Ansiedade e alegria

Vamos ser sinceros, estou indo para um lugar onde não conheço ninguém (eu sou tímida e me dá agonia ser a “menina nova” da sala), onde não sei que tipo de problemas e desafios irei enfrentar e nem como vou me sentir e tudo isso dá um frio na barriga que te faz pensar “será que você não está fazendo @#%$@?”.

Mas no fim das contas o sentimento que fica é alegria, pois naquele exato momento eu estava dando os primeiros passos para fora da minha zona de conforto e como o sábio Bilbo dizia: “É perigoso sair porta afora, você pisa na Estrada e se não controlar seus pés, não há como saber até onde você poderá ser levado”. E olha só que coisas espetaculares aconteceram com quem saiu da porta de casa né?

É como o que sinto ao andar de moto. Até subir na moto eu sinto medo, depois que subo é só alegria e emoção para ver o que a nova estrada irá me mostrar.

Agradecimento

Aproveito este momento para agradecer a todas as pessoas que passaram e que ainda pertencem à equipe Multicanal, pois o contato com cada um de vocês me tornou a pessoa que sou hoje. Meu mais sincero agradecimento!!!

Despedida no modo “marmita’s day”
Despedida no Outback

E para fechar o post, o dia e o ano…

Desejo a todos um “feliz trezentos e sessenta e cinco dias e quatro horas” e que 2017 traga muitos desafios, discussões, conferências, palestras, meetups, felicidade, amor, paz, saúde e sobre tudo, linhas de código.

“Tengan la bondad de ser felices” =*